terça-feira, 4 de maio de 2010

Reclamação

Aproveito cada razão que eu tenha para reclamar. Reclamar inclusive de coisas que tenha razão de se reclamar. Mas o motivo da reclamação é outro, bem antigo, e quase nunca reclamo à pessoa certa, que é ninguém. Às vezes, o motivo da reclamação atual pode ser pequeno, mas então, em nome daquelas antigas e tantas queixas, eu remodelo o motivo, reconstruo-o, faço dele maior, mais colorido e carregado também, e deixo o seu alvo tão batido, tão surrado e, na verdade, só paro de desferir golpes quando sinto que a culpa se instalou na alma do meu vitimizado. Então respiro, satisfeito, pra depois cair eu na culpa, pela minha crueldade, e piora quando pressinto que fiz exatamente tudo descrito acima. Não sei o que fazer, e amargurado, triste e me martirizando, passo vários dos dias seguintes. Depois, acaba. Talvez quando eu me convenço de que sofri o suficiente para expiar o mal que fiz, coisa que não conto para o outro.
Sou louco

Francisco José
04/05/10


Francisco José
04/05/10

Um comentário:

Isabelle D'avila disse...

Quando o louco se despe da culpa em frente ao espelho - desculpa. Nessas horas, admiro vc por andar nu...