domingo, 10 de outubro de 2010

AvaGardner



Em algum nível você se mostrou disponível,

e isso aqueceu uma parte muito puramente virgem do meu coração
e eu enlouqueci com o fato de não mais conseguir enxergá-la no olhar
que foi se apagando de algum foco de uma incerta direção
de dentro do seu coração.

Um clarão em que duas imensidões puderam reconhecer-se profundamente,
n
uma tempestade no meio da noite em alto mar,
a amplidão de espaço e poder do outro
defronte ao outro
num momento de luz e claridade de duas grandes massas de energia,
mas que não se pode ficar

aceso para sempre, já que cegaria os olhares que não
suportassem
ficar sem olhá-la fascinados,
nem por um instante sequer...



Francisco Vieira
10/10/10

3 comentários:

Anônimo disse...

Fran, sempre surpreendendo, crescendo e conquistando a gente.
"Adorável", esse é você.

Bjs mil

Meri.

Edilene Ruth disse...

Lindo e tocante como sempre.
Muito obrigada pelo carinho na minha coluna no Papo de quinta, postarei lá todas as sextas!!!
Beijão
Edilene
http://devaneiopulsante.blogspot.com
www.papodequinta.com

André Gonçá disse...

"numa tempestade no meio da noite em alto mar,
a amplidão de espaço e poder do outro defronte ao outro"

Defronte ao poema, quase, cega-se realmente. O clarão, a tempestade, o poder do poema sobre o leitor... intenso...

André Gonçá