quinta-feira, 22 de julho de 2010

A Casa




Os acontecimentos do cômodo da direita
Fazem-me respirar de um jeito forte
Que o ar assoprado pela narina assovia
As vozes que eu escuto do cômodo da esquerda.

Francisco Vieira
22/07/10

Um comentário:

Isabelle D'avila disse...

Os ecos estridentes caem no ouvido surdo e a surdez da fala nao atinge de maneira clara os olhos enlamaçados do ex-corpo. Deceparam os ouvidos e a lingua das paredes...